O fundo Glory Top, de Hong Kong, que pagou R$ 600 milhões pela Ulbra, mira em outro mercado no país: a área hospitalar


Assim como no caso das faculdades, os asiáticos têm interesse não apenas na operação do hospital, mas também pelo ativo imobiliário.

Leia a breve notícia aqui.


Proxima
« Anterior
Anterior
Proxima »